Arquivo da categoria: Favoritos dos Sousa

Os Favoritos dos Sousa: Luiz Melodia

Resultado de imagem para Luiz melodia

Luiz Carlos dos Santos (Rio de Janeiro, 7 de janeiro de 1951 – Rio de Janeiro, 4 de agosto de 2017)

Apenas uma homenagem para Luiz Melodia seria pouco para este Blog. Há muito tempo já deveríamos ter elevado Melodia à categoria de Favorito dos Sousa. O que dizer de um cantor/compositor que tem melodia até no nome? Quando ouvi Luiz Melodia pela primeira vez eu tinha 17-18 anos, tinha acabado de entrar para a Escola de Medicina e aquela voz, que resgatava o samba de morro, e ao mesmo tempo incluía uma modernidade inimaginável, um swing irresistível, tinha tudo para se tornar uma das vozes preferidas da minha geração. O seu primeiro disco, Pérola Negra, de 1973 é antológico e certamente listado entre os mais importantes da MPB. Triste que mais este talento se vá. Vai Luiz, em paz, você fez minha geração  ver o samba de uma maneira moderna e diferente e será para sempre um dos Favoritos dos Sousa.

DISCOGRAFIA

  • 1973 Pérola Negra
  • 1976 Maravilhas Contemporâneas
  • 1978 Mico de Circo
  • 1980 Nós
  • 1983 Felino
  • 1987 Decisão
  • 1988 Claro
  • 1991 Pintando o Sete
  • 1995 Relíquias
  • 1997 14 Quilates
  • 1999 Acústico ao Vivo
  • 2001 Retrato do artista quando coisa
  • 2003 Luiz Melodia Convida
  • 2007 Estação Melodia
  • 2008 Especial MTV – Estação Melodia Ao Vivo
  • 2014 Zerima

 

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Diversas, Favoritos dos Sousa, Homenagem, Luiz Melodia

Favoritos dos Sousa: Gonzaguinha

Resultado de imagem para gonzaguinha caricatura

Luiz Gonzaga do Nascimento Júnior, mais conhecido como Gonzaguinha, (Rio de Janeiro, 22 de setembro de 1945 – Renascença, 29 de abril de 1991

Há muito estávamos devendo a inclusão deste importante artista em nossa galeria. Gonzaguinha foi muito  importante para minha geração, sofrida e esmagada pelo golpe militar de 1964, que encontrou em sua voz uma forma de protesto, que era ao mesmo tempo irada e profundamente apaixonada. Gonzaguinha, para sempre um dos Favoritos dos Sousa.

DISCOGRAFIA: (1973) Luiz Gonzaga Jr (1974) Luiz Gonzaga Jr (1975) Plano de Vôo  (1976) Começaria Tudo Outra Vez (1977) Moleque Gonzaguinha (1978) Recado (1979) Gonzaguinha da Vida (1980) De Volta ao Começo (1981) Coisa Mais Maior de Grande (1981) Vida de Viajante (com Gonzagão) (1982) Caminhos do Coração (1983) Alô Alô Brasil (1984) Grávido (1985) Olhode Lince/Trabalho de Parto (1987) Geral (1988) Corações Marginais (1990) Luizinho de Gonzagão Gonzaga Gonzaguinha (1993) Cavaleiro Solitário (2001) Luiz Gonzaga Jr – Gonzaguinha

 

Deixe um comentário

Arquivado em Favoritos dos Sousa, Gonzaguinha

Homenagem/Favoritos dos Sousa: Leon Russell

Claude Russell Bridges (Lawton, Oklahoma, 2 de abril de 1942 – Nashville, Tennessee, 13 de novembro de 2016), conhecido profissionalmente como Leon Russell,

Faleceu mais um ícone da música. Conheci a voz de Leon, marcante, rascante, como quase todo mundo no Concerto para Bangladesh, cantando, ao lado de George Harrison uma versão antológica do clássico Beware of Darkness. Imediatamente ele entrou para a minha lista de prediletos e embora tenha sempre trabalhado mais como músico de estúdio e sideman, ele manteve uma bela, embora pouco divulgada, carreira solo na música.

Em 2011, ele entrou para o Hall da Fama do Rock and Roll. Como compositor, tem como canções mais conhecidas “A Song for You” eternizada na voz de Donny Hathaway, “This Masquerade”, “Delta Lady” e “Hummingbird”.

Álbuns de Estúdio e Ao Vivo

1968 – Look Inside de Asylum Choir (with Mark Benno); 1970 – Leon Russell ; 1971 – Leon Russell and the Shelter People; 1971 – Asylum Choir II (with Mark Benno); 1972 – Carney ; 1973 – Leon  Live; 1973 – Hank Wilson’s Back vol. I; 1974 – Stop all the Jazz; 1975 – Will O’ the Wisp; 1976 – Wedding Album ; 1977 – Make Love to the Music; 1978 – Americana; 1979 – One for the Road (with willie Nelson); 1979 – Life and Love; 1981 – The Live album; 1984- Hank Wilson Vol II; 1984 -Solid State; 1989 – Leon Russell, 1991 – Delta Lady; 1992 – Anything can Happen; 1992 – Crazy Love; 1995 – Hymnsof Christmas; 1998 – Legend in my Time – Hank Wilson, vol III; 1999 – Face in Crowd; 1999 – Blues:Same old Song; 2000- Live at Gilley’s; 2001 – Guitar Blues; 2001 – Signature Songs; 2001 – Rythm and Bluegrass: Hank Williams vol IV; 2002 – Moonlight and Love Songs; 2003 – In your Dreams; 2003 – Bad Country; 2003 – Almost Piano; 2006 – A Might Flood; 2006 – Angel in Disguise; 2010 – The Union (with Elton John); 2014 – Life Journey

 

Deixe um comentário

Arquivado em Diversas, Favoritos dos Sousa, Homenagem

Homenagem: Favoritos dos Sousa : Prince

Mais uma homenagem neste ano terrível – faleceu um dos gênios musicais de nosso tempo: Prince. Prince e Bowie num ano só. Acho que já podemos chamar este ano de o ano em que o rock moderno ficou órfão. Prince será homenageado na nossa Categoria Favoritos dos Sousa e acrescentado à nossa galeria de honra.

 

Prince Rogers Nelson (Minneapolis, 7 de junho de 1958 – Minneapolis, 21 de abril de 2016)

Prince era  músico, multi-instrumentista e dançarino e um dos mais talentosos e influentes  músicos de nosso tempo. Prince vendeu mais de 100 milhões de álbuns e 60 milhões de singles. Os singles e álbuns de Prince, especialmente os lançados nos anos 1980, estão quase sempre entre as cinco primeiras posições de todas as listas de melhores músicas ou discos de todos os tempos, com destaque para o álbum Purple Rain, lançado em 1984. Sua música mistura diversos generos musicais como funk, R&B, soul, new wave, jazz, rock, pop e hip hop. Foi considerado o 33.º melhor guitarrista de todos os tempos pela revista norte-americana Rolling Stone.

Prince tinha a reputação de ser um workaholic, seja a trabalhar nas suas músicas ou a produzir outros artistas até o ponto de deixar muito material inédito na gaveta. Considerado um perfeccionista, tinha a imagem de uma pessoa difícil de se trabalhar e por ser altamente protetor de sua música. Escrevia, compunha, produzia e fazia a coreografia de todas as suas músicas. Também tocava todos os instrumentos nos seus álbuns. (Adaptado de Wikipedia). Sem dúvida um dos favoritos dos Sousa e que tem dois de seus discos: 1999 e Purple Rain entre os 100 Melhores Internacionais da Vitrola (Aguardem o post em breve)

DISCOGRAFIA

1978 – For You 1979 – Prince 1980 – Dirty Mind 1981 – Controversy 1982 – 1999 1984 – Purple Rain 1985 – Around the World in a Day 1986 – Parade: Music from the Motion Picture Under the Cherry Moon 1987 – Sign “☮” the Times 1988 – Lovesexy 1989 – Batman 1990 – Graffiti Bridge 1991 – Diamonds and Pearls 1992 – O(+> 1994 – Come1994 – The Black Album 1995 – The Gold Experience 1996 – Chaos and Disorder 1996 – Emancipation 1998 – Crystal Ball / The Truth1999 – The Vault: Old Friends 4 Sale 1999 – Rave Un2 the Joy Fantastic 2001 – The Rainbow Children 2002 – One Nite Alone… 2003 – Xpectation 2003 – N.E.W.S 2004 – Musicology 2004 – The Chocolate Invasion 2004 – The Slaughterhouse 2006 – 3121 2007 – Planet Earth 2009 – LOtUSFLOW3R / MPLSoUND 2010 – 20Ten 2014 – Plectrumelectrum 2014 – Art Official Age2015 – HITnRUN Phase One

Para lembrar Prince durante o Super Bow

Deixe um comentário

Arquivado em Diversas, Favoritos dos Sousa, Homenagem, Prince

Favoritos dos Sousa Especial: David Bowie

David Robert Haywood-Jones, mais conhecido como David Bowie, foi o escolhido para inaugurar a nossa página : Os Favoritos dos Sousa em 04/12/2010. David nasceu em 08/01/1947 e faleceu no domingo 10/01/2016, aos 69 anos, após uma batalha contra um câncer. Bowie foi um artista completo e extremamente importante para a história da música popular mundial. Voltaremos a publicar novos posts sobre ele ao longo do dia. Por enquanto fiquem a reedição revista do post de 2010.

DISCOGRAFIA:

Os meus favoritos estão marcados em vermelho. Gosto especialmente de “Aladdin Sane”  de 1973, com Bowie no ápice da androginia cantando as estonteantes: “Aladdin Sane (1913-1938-197?)”, “Lady Grinning Soul”, “Let’s Spend the Night Together” e  “Panic in Detroit”. O álbum “The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spyders from Mars”é antológico e conta a história de um alienígena rock star que aterrisssa em um mundo predestinado a acabar em cinco anos – este album deu origem ao personagem que Bowie passou a encarnar – Ziggy Stardust – e foi a base para a primeira turnê mundial do cantor e seu lançamento como mega star mundial, em 1972.Em uma performance cheia de maquiagem, luzes e roupas exuberantes, ele encarnava o personagem perturbado de suas canções. Com a ajuda de suas “Spiders from Mars” (Ronson na guitarra, Trevor Bolder no baixo e Mick Woodmansey na bateria) o álbum alcançou o topo das paradas, e transformou Bowie em uma estrela. São também imperdíveis: Space Oddity (1969) e o mega hit dançante “Let’s Dance”

Álbuns de estúdio

Ano Single UK US
1966 David Bowie
1969 Space Oddity #17 #16
1970 The Man Who Sold the World #26
1971 Hunky Dory #3 #93
1972 The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars #5 #75
1973 Aladdin Sane #1 #17
1973 Pin Ups #1 #23
1974 Diamond Dogs #1 #5
1975 Young Americans #2 #9
1976 Station to Station #5 #3
1977 Low #2 #11
1977 “Heroes” #3 #35
1979 Lodger #4 #20
1980 Scary Monsters (and Super Creeps) #1 #12
1983 Let’s Dance #1 #4
1984 Tonight #1 #11
1987 Never Let Me Down #6 #34
1989 Tin Machine (com a banda Tin Machine) #3 #28
1991 Tin Machine II (com a banda Tin Machine) #23 #126
1993 Black Tie White Noise #1 #39
1995 Outside #8 #21
1997 Earthling #6 #39
1999 ‘Hours…’ #5 #47
2002 Heathen #5 #14
2003

2013

2016

Reality

The Next Day

Blackstar

#3

#1

#29

#2

Álbuns ao Vivo

Ano Álbum
1971 David Live
1978 Stage
1983 Ziggy Stardust: The Motion Picture
1992 Tin Machine Live: Oy Vey, Baby
1994 Santa Monica ’72
2008 Glass Spider Live
2009 VH1 Storytellers
2010 A Reality Tour

Trilhas sonoras

Ano Álbum Charts
1981 Christiane F. US #3
1986 Labyrinth (com Trevor Jones) UK #38
1993 The Buddha of Suburbia UK #87

Os meus favoritos estão marcados em vermelho. Gosto especialmente de “Aladdin Sane”  de 1973, com Bowie no ápice da androginia cantando as estonteantes: “Aladdin Sane (1913-1938-197?)”, “Lady Grinning Soul”, “Let’s Spend the Night Together” e  “Panic in Detroit”. O álbum “The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spyders from Mars”é antológico e conta a história de um alienígena rock star que aterrisssa em um mundo predestinado a acabar em cinco anos – este album deu origem ao personagem que Bowie passou a encarnar – Ziggy Stardust – e foi a base para a primeira turnê mundial do cantor e seu lançamento como mega star mundial, em 1972.Em uma performance cheia de maquiagem, luzes e roupas exuberantes, ele encarnava o personagem perturbado de suas canções. Com a ajuda de suas “Spiders from Mars” (Ronson na guitarra, Trevor Bolder no baixo e Mick Woodmansey na bateria) o álbum alcançou o topo das paradas, e transformou Bowie em uma estrela. São também imperdíveis: Space Oddity (1969) e o mega hit dançante “Let’s Dance”

 

Deixe um comentário

Arquivado em David Bowie, Diversas, Favoritos dos Sousa, Homenagem

Favoritos dos Sousa: Raul Seixas

Raul

 

Todo mundo já sabe que nesta semana, precisamente ontem, dia 21, completaram-se 25 anos da morte de Raul Seixas. Meu primeiro encontro com Raul, se deu em 1973, quando fiquei conhecendo aquele baiano alucinado, que conquistou a plateia de um festival de rock, realizado no campo do Cruzeiro, no Barro Preto (sim, era possível fazer um show de rock – no caso um festival, que contou ainda, se não me engano, com Rita Lee, iniciando sua carreira solo). O bom baiano nos ganhou com sua ousadia, seu deboche e a qualidade de sua interpretação. São inesquecíveis um medley, que ele cantava, com “Tutti Frutti”, de Little Richard seguido de “Let me sing” do próprio Raul,finalizando com “As minas do rei Salomão”, composta em parceria com Paulo Coelho. Marcante também a interpretação de Al Capone. Depois, voltamos a nos encontrar no ano seguinte, ou talvez em 1975, não me lembro bem da data, no Teatro da Imprensa Oficial, na Rua Rio de Janeiro, para o lançamento de Gita, seu disco de maior sucesso. Daí para frente aquele baiano se tornou um dos favoritos dos Sousa e ao escrever este texto, olho para minha estante e vejo a caixa de CDs com todos os seus sucessos, e comprovo : para os Sousa Raul é eterno. (Foto)

Raul Santos Seixas (Salvador, 28 de junho de 1945 — São Paulo, 21 de agosto de 1989)

Foi um cantor e compositor brasileiro, frequentemente considerado um dos pioneiros do rock brasileiro. Também foi produtor musical da CBS durante sua estada no Rio de Janeiro, e por vezes é chamado de “Pai do Rock Brasileiro” e “Maluco Beleza”. Sua obra musical é composta por 17 discos lançados em seus 26 anos de carreira e seu estilo musical é tradicionalmente classificado como rock e baião, e de fato conseguiu unir ambos os gêneros em músicas como “Let Me Sing, Let Me Sing”5 . Seu álbum de estreia, Raulzito e os Panteras (1968), foi produzido quando ele integrava o grupo Os Panteras, mas só ganhou notoriedade crítica e de público com as músicas de Krig-ha, Bandolo! (1973), como “Ouro de Tolo”, “Mosca na Sopa”, “Metamorfose Ambulante”. Raul Seixas adquiriu um estilo musical que o creditou de “contestador e místico”, e isso se deve aos ideais que vindicou, como a Sociedade Alternativa apresentada em Gita (1974), influenciado por figuras como o ocultista britânico Aleister Crowley.

Raul se interessava por filosofia (principalmente metafísica e ontologia), psicologia, história, literatura e latim e algumas crenças dessas correntes foram muito aproveitadas em sua obra, que possuía uma recepção boa ou de curiosidade por conta disso. Ele conseguiu gozar de uma audiência relativamente alta durante sua vida, e mesmo nos anos 80 continuou produzindo álbuns que venderam bem, como Uah-Bap-Lu-Bap-Lah-Béin-Bum! (1987) e A Panela do Diabo (1989), esse último em parceria com Marcelo Nova, e sua obra musical tem aumentado continuamente de tamanho, na medida em que seus discos (principalmente álbuns póstumos) continuam a ser vendidos, tornando-o um símbolo do rock do país e um dos artistas mais cultuados e queridos entre os fãs nos últimos quarenta anos. Em outubro de 2008, a revista Rolling Stone promoveu a Lista dos Cem Maiores Artistas da Música Brasileira, cujo resultado colocou Raul Seixas figurando a posição 19ª , encabeçando nomes como Milton Nascimento, Maria Bethânia, Heitor Villa-Lobos e outros. No ano anterior, a mesma revista promoveu a Lista dos Cem Maiores Discos da Música Brasileira, onde dois de seus álbuns apareceram Krig-ha, Bandolo! de 1973 atingiu a 12ª posição e Novo Aeon ficou em 53º lugar ,demonstrando que o vigor musical de Raul Seixas continua a ser considerado importante hoje em dia. (WIKIPEDIA)

DISCOGRAFIA:

Álbuns de estúdio

  • 1973 – Krig-ha, Bandolo!
  • 1973 – Os 24 Maiores Sucessos da Era do Rock
  • 1974 – Gita
  • 1975 – Novo Aeon
  • 1976 – Há 10 Mil Anos Atrás
  • 1977 – Raul Rock Seixas
  • 1977 – O Dia Em Que a Terra Parou
  • 1978 – Mata Virgem
  • 1979 – Por Quem os Sinos Dobram
  • 1980 – Abre-te Sésamo
  • 1983 – Raul Seixas
  • 1984 – Metrô Linha 743
  • 1987 – Uah-Bap-Lu-Bap-Lah-Béin-Bum!
  • 1988 – A Pedra do Gênesis
  • 1989 – A Panela do Diabo (Com Marcelo Nova)

Álbuns ao vivo

  • 1975 – Hollywood Rock (Falso álbum ao vivo, lançado somente em LP, e dividido com Erasmo Carlos, O Peso e Rita Lee & Tutti Frutti)
  • 1984 – Ao Vivo – Único e Exclusivo
  • 1991 – Eu Raul Seixas (Show na Praia do Gonzaga, Santos, 1982)
  • 1993 – Raul Vivo (Reedição de Ao Vivo – Único e Exclusivo com faixas extras)
  • 1994 – Se o Rádio não Toca… (Show em Brasília, 1974)

Compactos

  • 1972 – Let me, sing, let me sing / Ted Boy, Rock e Brilhantina
  • 1973 – Ouro de tolo / A hora do trem passar
  • 1973 – dentadura postiça / al capone / Mosca na sopa / ?
  • 1974 – Gita / Não pare na pista
  • 1974 – Como vovó já dizia / Um som para Laio
  • 1975 – Medo da chuva / Sociedade Alternativa / Como vovó já dizia / Trem da sete
  • 1975 – Tente Outra vez / Para nóia (como está no selo do compacto) / a maçã / peixuxa
  • 1976 – Eu nasci há dez mil anos atrás / Love is magik
  • 1977 – Eu também vou reclamar / Ave Maria da Rua / Eu Nasci há 10 mil anos atrás / O Homem
  • 1983 – O Carimbador Maluco
  • 1993 – A Maçã / Como Vovó Já Dizia / Sociedade Alternativa / Gita
  • 1993 – Jay Vaquer Featuring Raul Seixas – Mosca na Sopa / 72 en 92
  • 1998 – Morning Train
  • 1998 – É Fim de Mês

Coletâneas

  • 1981 – O Melhor De Raul Seixas
  • 1982 – A arte de Raul Seixas
  • 1983 – O Pacote Fechado de Raul Seixas
  • 1985 – Let Me Sing My Rock And Roll
  • 1985 – Raul Seixas Rock
  • 1986 – Caminhos
  • 1986 – Raul Rock Seixas Volume 2
  • 1987 – Caroço de Manga
  • 1988 – Metamorfose Ambulante
  • 1988 – O Segredo do Universo
  • 1988 – Raul Seixas Para Sempre
  • 1990 – Raul Seixas – Personalidade – The Best of Brazil
  • 1990 – Maluco Beleza
  • 1991 – As Profecias (Contém uma faixa inédita)
  • 1992 – O Baú do Raul
  • 1993 – Os Grandes Sucessos de Raul Seixas
  • 1994 – Minha História
  • 1995 – Geração Pop Vol.2: Raul Seixas
  • 1996 – MPB Compositores 4: Raul Seixas
  • 1997 – As Melhores do Maluco Beleza
  • 1998 – Documento
  • 1998 – 20 Grandes Sucessos de Raul Seixas
  • 1998 – Preferência Nacional
  • 1998 – Música! O Melhor da Música de Raul Seixas
  • 1999 – Brilhantes: Raul Seixas
  • 1999 – Millennium: Raul Seixas
  • 2000 – Areia da Ampulheta
  • 2000 – Enciclopedia Musical Brasileira
  • 2001 – Warner 25 Anos: Raul Seixas
  • 2002 – Série Identidade: Raul Seixas
  • 2002 – Série Gold: Raul Seixas
  • 2003 – Anarkilópolis (Contém duas faixas inéditas)
  • 2004 – Essential Brasil: Raul Seixas
  • 2005 – O Baú do Raul Revirado (CD com raridades vendido somente com o livro de mesmo nome)
  • 2005 – Novo Millennium: Raul Seixas
  • 2005 – Série Bis: Raul Seixas
  • 2006 – Warner 30 Anos: Raul Seixas
  • 2008 – Sem Limite: Raul Seixas
  • 2009 – 20 Anos sem Raul Seixas (Reedição de Documento com uma faixa inédita extra)
  • 2011 – MPB no JT

Caixas

  • 1995 – Série Grandes Nomes: Raul (Caixa com 4 CDs e livreto ilustrado)
  • 2002 – Maluco Beleza (Caixa com 6 CDs e livro ilustrado)
  • 2009 – 10.000 Anos à Frente (Reedição da caixa Maluco Beleza)

Trilhas sonoras

  • 1973 – A Volta de Beto Rockfeller
  • 1973 – Rosa dos Ventos
  • 1974 – O Rebu
  • 1983 – Plunct, Plact, Zuuum
  • 1984 – Plunct, Plact, Zuuum II
  • 2002 – Cidade de Deus
  • 2009 – Viver a Vida – Rede Globo
  • 2014 – Vitória – Rede Record

Outros álbuns

  • 1972 – Carnaval Chegou (Coletânea com vários artistas. Raul canta a faixa Eterno Carnaval)
  • 1973 – Phono 73 O Canto de um Povo – Volume 1 (LP gravado ao vivo em 1973 com vários artistas da gravadora Philips. Raul aparece com a música Loteria de Babilônia)
  • 1973 – Eu Quero É Botar Meu Bloco na Rua – Álbum do cantor e compositor Sérgio Sampaio, com participação de Raul Seixas cantando na faixa “Viajei de Trem”.
  • 1979 – O Banquete dos Mendigos (LP duplo gravado ao vivo em 1973 com vários artistas. Raul aparece com a faixa Cachorro – Urubu)
  • 1987 – Duplo Sentido (LP duplo da banda baiana Camisa de Vênus no qual Raul canta na faixa Muita Estrela, Pouca Constelação)
  • 1995 – Vida e Obra de Johnny McCartney – Álbum do cantor e compositor Leno, gravado (e censurado) em 1971. Raulzito (Raul Seixas) participa na produção, composições e vocais.

5 Comentários

Arquivado em Favoritos dos Sousa, Raul Seixas

Favoritos dos Sousa : Johnny Winter

O cantor e guitarrista de blues Johnny Winter, em foto de 19 de julho de 2008' (Foto: Diego Tucson/AFP)

John Dawson Winter III, mais conhecido como Johnny Winter (Beaumont, Texas, 23 de fevereiro de 1944, Zurique ,16 de julho de 2014) foi um guitarrista e cantor de blues norte-americano.

Johnny faleceu hoje, e com ele mais um pedacinho da história musical dos Sousa. Tinha eu, lá meus 15-16 anos, estudando para prestar o exame Vestibular, quando conheci o som de Johnny. Eu, pessoalmente já escutava um pouco de blues, com os raros discos que conseguíamos emprestados, de amigos que os traziam do exterior. Lembro que tinha gravado alguma coisa de Muddy Waters, Freddy King ,B.B. King e Robert Johnson, mas de repente fomos apresentados a um blues diferente . Os anteriores eram o que poderíamos chamar, oriundos do “blues de raiz”- todos negros, puros, maravilhosos guitarristas e músicos, mas faziam parte do mainstream do blues. Aliás, nesta época, o blues estava sendo resgatado dos guetos onde esteve confinado por muitos anos, via lançamentos de blues por artistas britânicos como John Mayall, Eric Clapton ou os Rolling Stones. Mas este blues, trazido pelos britânicos, embora também fosse ótimo, não passava de uma releitura dos clássicos americanos, apimentada com um pouco de rock. E de repente, eis que escuto Johnny Winter. Uma voz rouca, vinda do fundo da alma, como a dos negros, mas com um timbre diferente, temas diferentes, mais rock, quase branca, mas diferente. E eis que surge o dono da voz, um texano, completamente alpino, elétrico e transgressor. Foi amor à primeira vista. Escutar Johnny passou a ser um diferencial musical – Beatles, Rolling Stones, disco music, e até MPB todo mundo escutava, mas Johnny não, era para poucos.

Johnny começou muito jovem com seu irmão Edgar Winter, que, assim como ele, é albino. Seu primeiro disco, School Day Blues foi lançado quando Winter tinha 15 anos de idade. Em 1968 ele começou a tocar em um trio com o baixista Tommy Shannon e o baterista Uncle John Turner. O álbum Johnny Winter foi lançado no final do ano. Em 1969 o trio se apresentou em vários festivais, incluindo Woodstock. Foi a partir de Woodstock que ele chamou a atenção do mundo.Em 1988 ele foi incluído no “Hall da Fama do Blues” e em 2012, foi considerado o 63º melhor guitarrista de todos os tempos pela revista norte-americana Rolling Stone.

Tive o prazer de assisti-lo ao vivo em 2011, ao vivo, aqui em Belo Horizonte, em um show memorável. Johnny, já com evidentes limitações físicas, nos brindou com cerca de duas horas do mais fino blues texano. A Johnny Winter , um dos favoritos especiais dos Sousa, nossa saudade e agradecimentos por ter nos proporcionado momentos tão marcantes.

Discografia

  • Johnny Winter (1968)
  • The Progressive Blues Experiment (1969)
  • Second Winter (1969)
  • The Johnny Winter Story (1969)
  • Johnny Winter And (1970)
  • About Blues (1970)
  • Early Times (1970)
  • Before The Storm (1970)
  • Johnny Winter And Live (1971)
  • Still Alive And Well (1973)
  • Saints And Sinners (1974)
  • Austin, TX (1974)
  • John Dawson Winter III (1974)
  • Captured Live! (1976)
  • Together (1976), with Edgar Winter
  • Nothin’ But The Blues (1977)
  • White Hot And Blue (1978)
  • Raisin’ Cain (1980)
  • Ready For Winter (1981)
  • Guitar Slinger (1984)
  • Serious Business (1985)
  • Third Degree (1986)
  • The Winter Of ’88 (1988)
  • Let Me In (1991)
  • Jack Daniels Kind Of Day (1992)
  • Hey, Where’s Your Brother? (1992)
  • Live In NYC ’97 (1998)
  • Back In Beaumont (2000)
  • I’m A Bluesman (2004)
  • Roots (2011)
  • Step Back (previsto para setembro de 2014)

 

Deixe um comentário

Arquivado em Favoritos dos Sousa, Johnny Winter