Os Favoritos dos Sousa

B

BOWIE, David (David Robert Haywood-Jones, * Londres, 8 de janeiro de 1947 + 10/01/2016)

Resultado de imagem para david bowie caricature

PREFERIDOS: The Rise And Fall Of Ziggy Stardust, Aladdin Sane, Pinups,Let’s dance

DISCOGRAFIA: (1967)  David Bowie (1969) Space Oddity (1970) The Man Who Sold The World (1971) Hunky Dory (1971) David Live (1972) The Rise And Fall Of Ziggy Stardust (1973)  Aladdin Sane (1973) Pin Ups (1974) Diamond Dogs (1975)  Young Americans (1976 ) Station To Station (1977)  Heroes (1977) Low (1978) Stage (1979)  Lodger (1980) Scary Monsters (1981) Christiane F. (1983) Let’s Dance (1983) Ziggy Stardust: The Motion Picture (1984)  Tonight (1986) Labyrinth (From The Original Soundtrack Of The Jim Henson Film) (1987)  Never Let Me Down (1989) Tin Machine (1991) Tin Machine II (1992) Tin Machine Live: Oy Vey, Baby (1993) Black Tie White Noise (1993) The Buddha Of Suburbia (1994) Santa Monica ’72 (1995) Outside (1997) Earthling  (1999) Hours (2002) Heathen (2003) Reality (2008) Glass Spider Live (2009) VH1 Storytellers (2010) A Reality Tour

D

DREXLER, Jorge ( Jorge Abner Drexler Prada , Montevideo  21/09/1964)

é um cantor e compositor uruguaio, mais conhecido pela sua canção “Al otro lado del río”, a primeira música em espanhol a vencer o Oscar de melhor canção.

PREFERIDOS: 12 Segundos de Oscuridad(2007),Amar la trama (2010)

DISCOGRAFIA: (1992) La luz que sabe robar (1994) Radar (1996) Vaivén (1998) Llueve (1999) Frontera (2001) Sea (2004) Eco (2005) Eco2 (includes 3 bonus tracks + DVD) (2006) 12 Segundos de Oscuridad (2007) La Edad del Cielo (iTunes release) (2008) Cara B (It received a nomination for Best Latin Pop Album at the Grammy Awards of 2009) (2010)Amar la Tram

G

GILMOUR, David (David Jon Gilmour,  Cambridge, 6 de Março de 1946))

Resultado de imagem para david gilmour caricature

É um guitarrista e cantor britânico, vocalista da banda inglesa Pink Floyd, tendo também editado álbuns a solo bem como colaborado com outros artistas. Depois da saída de Roger Waters a meio da década de 1980 tornou-se a principal figura da banda. Foi considerado o 14º melhor guitarrista do mundo pela revista norte-americana Rolling Stone.

DISCOGRAFIA: Álbuns a solo: David Gilmour (1978)/About Face (1984)/On an Island (2006)/Live in Gdańsk (2008) Com Pink Floyd : A Saucerful of Secrets (1968)/Music from the Film More (1969)/Ummagumma (1969)/Atom Heart Mother (1970)/Meddle (1971)/Obscured by Clouds (1972)/The Dark Side of the Moon (1973)/Wish You Were Here (1975)/Animals (1977)/The Wall (1979)/A Collection Of Great Dance Songs (1981)/The Final Cut (1983)/A Momentary Lapse of Reason (1987)/Delicate Sound Of Thunder (1988)/The Division Bell (1994)/P•U•L•S•E (1995)/Is There Anybody Out There ? (2000)/Echoes (2001)Outros: Metallic Spheres (2010), colaboração com a banda The Orb Filmografia: Live At Pompeii (1972),Live At Hammersmith Odeon (1984),David Gilmour in Concert (2002),Remember That Night (2007),Live In Gdansk (2008) (Kit Edition)

GUY,Buddy ( George Guy, 30/07/1936 – Lettsworth, Louisiana,USA)

Buddy Guy ( George Guy, 30/07/1936 – Lettsworth, Louisiana,USA) é um guitarrista e cantor norte-americano de blues e rock. Conhecido por servir de inspiração para Jimi Hendrix e outras lendas dos anos 60, Guy é considerado um importante expoente do chamado Chicago blues, tornado famoso por Muddy Waters e Howlin’ Wolf.

DISCOGRAFIA: (1965) Hoodoo Man Blues (1966) Chicago/The Blues/Today! vol. 1 (1966) It’s my Life, Baby! (1967) I Left My Blues in San Francisco (1967) Berlin festival – Guitar Workshop (1968) A Man and the Blues (1968) Coming At You (1968) Blues Today (1968) This Is Buddy Guy (live) (1969) Hot And Cool (1969) First Time I Met the Blues-Python (1970) Buddy and the Juniors (1970) South Side Blues Jam (1971) Buddy & Junior Mance & Junior Wells (1971) In The Beginning (1972) Play The Blues (1972) Hold That Plane! (1974) I Was Walking Through the Woods (1979) Got to Use Your Head (1980) The Dollar Done Fell (1981) Stone Crazy! (1981) Alone & Acoustic (1982) Drinkin’ TNT ‘n’ Smokin’ Dynamite (live) (1982) DJ Play My Blues (1983) Buddy Guy (1983) The Original Blues Brothers (live) (1985) Ten Blue Fingers (1986) Atlantic Blues: Chicago (1987) Chess Masters (1988) Live at the Checkerboard Lounge, Chicago-1979 (1988) Breaking Out (1989) I Ain’t Got No Money (1991) Alone & Acoustic (1991) Damn Right,I’ve Got the Blues (1991) Buddy’s Baddest: The Best of Buddy Guy (1992) My Time After Awhile (1992) The Very Best of Buddy Guy (1992) The Complete Chess Studio Recordings (1992) Live at Montreaux (1993) Feels Like Rain (1994) Slippin’ In (1996) Live: The Real Deal (1997) Buddy’s Blues (1998) Buddy’s Blues 1978-1982: The Best of the JSP Recordings (1998) As Good As It Gets (1998) Heavy Love (1998) Last Time Around – Live at Legends (1998) This Is Buddy Guy (1998) Blues Master (1999) Buddy’s Baddest: The Best of Buddy Guy (2000) The Complete Vanguard Recordings (2000) Every Day I Have the Blues (2001) 20th Century Masters: The Millennium: The Best of Buddy Guy (2001) Sweet Tea  (2001) Double Dynamite (2003) Blues Singer (2003) Chicago Blues Festival 1964 (live) (2003) Jammin’ Blues Electric & Acoustic (2003) Live At the Mystery Club (2005) A Night of the Blues (2005) Bring ‘Em In (2006) Can’t Quit The Blues:Box Set (2006) Live: The Real Deal (2007) Goin’ Home: A Tribute to Fats Domino (2008) Skin Deep (2008) The Definitive Buddy Guy (2010) Living Proof

J

JAMES, Etta ( Jamesetta Hawkins; 25 de janeiro, 1938 – 20 janeiro, 2012): Etta trafegou por uma grande variedade de gêneros musicais, como o  blues, rhythm and blues, rock and roll, soul, gospel e jazz. Ela iniciou sua carreira nos anos 1950, e chegou ao sucesso e à fama com hits como “Dance With Me, Henry”, “At Last”, “Tell Mama”, e “I’d Rather Go Blind” .Etta, ao longo da vida enfrentou inúmeros problemas pessoais, inclusive o vício pelas drogas, tendo retomado a carreira apenas no final dos anos 1980s com o album, The Seven Year Itch.

Ela é tida como a responsável por fazer a ponte entre o rhythm and blues e o rock and roll, tendo sido ganhadora de seis Grammys ed 17 Blues Music Awards. Ela foi indicada para o Rock & Roll Hall of Fame em 1993, e para o  Blues Hall of Fame em 2001, e para o Grammy Hall of Fame em 1999 e 2008. A revista Rolling Stone ranqueou James como nº 22 na sua lista das  100 Greatest Singers of All Time e nº 62 na lista de 100 Greatest Artists. (Wikipedia)

DISCOGRAFIA: (1961)  At Last! (1961) The Second Time Around (1962)  Etta James Sings for Lovers (1963) Etta James Top Ten (1964) Etta James Rocks the House (1965)  The Queen of Soul (1966)  Call My Name (1968)  Tell Mama (1970) Etta James Sings Funk (1971) Losers Weepers (1973) Only a Fool (1974)  Come a Little Closer (1976)  Etta Is Betta Than Evvah! (1978)  Deep in the Night (1980) Changes (1982)  Etta, Red-Hot & Live (1986) Jazzvisions: Jump The Blues Away (1987) Early Show, Vol. 1: Blues in the Night (1989) Seven Year Itch (1990) Stickin’ to My Guns (1992) The Right Time (1992) My Greatest Songs (1994) Mystery Lady: Songs of Billie Holiday (1995) Time After Time (1997)  Love’s Been Rough on Me (1997) Her Best(1998)  Life, Love & the Blues (1998)  12 Songs of Christmas (1999)  Heart of a Woman (1999) 20th Century Masters: The Mille nium Collection (2000) Matriarch of the Blues (2000) The Chess Box (2001)  Blue Gardenia (2001) Love Songs (2002) Burnin’ Down the House: Live at the House of Blues  (2003) Let’s Roll (2004) Blues to the Bone (2006) The Definitive Collection (2006)  All the Way (2007) Gold (2011) Who’s Blue?: Rare Chess Recordings of the 60s and 70s (2011)  The Dreamer

K

Resultado de imagem para salif Keita caricature

KEITA, Salif  (Djoliba, Mali, 25 de Agosto de 1949)

É  muitas vezes chamado de ” A voz dourada de África” . Ele é um descendente direto de Sundiata Keita, o rei guerreiro mandinga que fundou o Império do Mali no século 13.Nascido albino – um sinal de má sorte – Keita foi rejeitado  e condenado ao ostracismo por sua família e também por sua comunidade , além disto tinha  baixa acuidade visual,  o que também contribuiu para o seu processo de alienação.

Em 1967 mudou-se para Bamako, onde começou a tocar em casas noturnas com um de seus irmãos. Dois anos mais tarde juntou-se o a uma banda de 16 membros,  patrocinada pelo governo , a “Rail Band” ,  que tocava no Hotel da estação ferroviária Bamako Buffet Hotel de la Gare – no que se tornou um show muito popular na época.

Em 1973 ele deixou a banda junto com  Kante Manfila (guitarrista, compositor e líder da banda) para se juntar a Les Ambassadeurs.  A partir de 1977, sua reputação que ultrapassou as fronteiras do Mali;  foi então condecorado com a Ordem Nacional da Guiné pelo presidente Ahmed Sékou Touré, em contrapartida, Keita  compôs “Mandjou” , contando a história do povo do Mali e louvando Sekou Toure. Esta linda canção apresenta as características sonoras típicas de Keita, apresentando  guitarra, órgão e saxofone.

Devido ao aumento da instabilidade política, Keita deixou Mali, em meados dos anos 70 para Abidjan, capital da Côte d’Ivoire (Costa do Marfim), os outros membros da banda seguiram o exemplo e eles mudaram o nome da banda para Les Ambassadeurs Internationales .Em 1984 Keita mudou-se para Paris a fim de alcançar um público mais vasto,, onde se juntou a outras estrelas africanas como Mory Kante, Toure Kunda, Tabu Ley Rochereau, Ray Lema, Papa Wemba e Manu Dibango, entre muitos outros.  Ele vive hoje no bairro de Montreuil em Paris, junto com outros 15.000 malianos . Afican Music Encyclopedia

DISCOGRAFIA:

Seydou Bathili– 1982 ; Soro – 1987 – Mango; Ko-Yan – 1989 – Mango; Amen – 1991 – Mango; Destiny of a Noble Outcast – 1991 – PolyGram; 69-80 – 1994 – Sonodisc; Folon – 1995 – Mango; Rail Band – 1996 – Melodie ; Seydou Bathili – 1997 – Sonodisc; Papa – 1999 – Blue Note; Mama – 2000 – Capitol; The Best of Salif Keita – 2001 – Wrasse Records; Sosie – 2001 – Mellemfolkeligt; Moffou – 2002 – Universal Jazz France; The Best of the Early Years – 2002 – Wrasse Records;Remixes from Moffou – 2004 – Universal Jazz France; M’Bemba – 2005 – Universal Jazz France; The Lost Album – 2006 – Cantos; La Différence – 2009 – Emarcy; Anthology – 2011 – Universal

M

Resultado de imagem para Luiz Melodia caricatura

 

MELODIA,Luiz (Luiz Carlos dos Santos (Rio de Janeiro, 7 de janeiro de 1951 – Rio de Janeiro, 4 de agosto de 2017)

Filho do sambista e compositor Oswaldo Melodia, de quem herdou o nome artístico, cresceu no morro de São Carlos no bairro do Estácio.Foi casado com a cantora, compositora e produtora Jane Reis de 1977 até sua morte, e era pai do rapper Mahal Reis (1980).Lança seu primeiro LP em 1973, Pérola Negra. No “Festival Abertura”, competição musical da Rede Globo, consegue chegar à final com sua canção “Ébano”.

Nas décadas seguintes Melodia lançou diversos álbuns e realizou shows no Brasil e na Europa. Em 1987, apresentou-se em Chateauvallon, na França, e em Berna, Suíça. Em 1992, participou do “III Festival de Música de Folcalquier”, na França, e, em 2004, do Festival de Jazz de Montreux, à beira do Lago Leman, onde se apresentou no Auditorium Stravinski, palco principal do festival.

Em 2015, ganhou o 26º Prêmio da Música Brasileira na categoria Melhor Cantor de MPB

DISCOGRAFIA:(1973 )Pérola Negra (1976)  Maravilhas Contemporâneas (1978) Mico de Circo (1980) Nós (1983) Felino (1987) Decisão (1988) Claro (1991) Pintando o Sete (1995) Relíquias (1997) 14 Quilates (1999) Acústico ao Vivo (2001) Retrato do artista quando coisa (2003) Luiz Melodia Convida (2007) Estação Melodia (2008) Especial MTV – Estação Melodia Ao Vivo (2014) Zerima

N

Resultado de imagem para wilson das neves caricatura

NEVES, Wilson das (Rio de Janeiro14 de Junho de 1936)

É um baterista, cantor e compositor brasileiro. Entre 1957 e 1968, Wilson das Neves acompanhou a pianista Carolina Cardoso de Menezes, foi membro do Conjunto de Ubirajara Silva, estreou como músico de estúdio na Copacabana Discos, se integrou em conjuntos como o de Steve Bernard e o de Ed Lincoln. Tocou com o flautista Copinha, com o pianista Eumir Deodato no conjunto “Os Catedráticos”, e com Eumir e Durval Ferreira, no grupo “Os Gatos”. Fez parte da orquestra de Astor Silva, da orquestra da TV Globo e da orquestra da TV Tupi de São Paulo, liderada pelo maestro Cipó. Desse período até 1973, acompanhou artistas como Elis Regina, Egberto Gismonti, Wilson Simonal, Elizeth Cardoso, Roberto Carlos, Francis Hime, Taiguara e Sérgio Sampaio.Acompanhou artistas internacionais como Toots Thielemans, Michel Legrand e Sarah Vaughan.
Figura presente no samba, o baterista tocou ao lado de grandes nomes do gênero como João Nogueira, Beth Carvalho, Cartola, Nelson Cavaquinho, Clara Nunes, Roberto Ribeiro, Martinho da Vila e muitos outros.Como compositor, é parceiro de Aldir Blanc, Paulo Cesar Pinheiro, Nei Lopes, Ivor Lancellotti, Claudio Jorge, Moacyr Luz e Chico Buarque, com quem toca desde 1982.Gravou em 1996, o disco “O Som Sagrado de Wilson das Neves”, lançado pela CID.Atualmente acompanha Chico Buarque em sua turnê e faz parte da Orquestra Imperial.

DISCOGRAFIA:  (1968) Elza Soares – Baterista: Wilson das Neves (1968) Juventude 2000 – Wilson das Neves e seu Conjunto (1969) Som Quente é o das Neves – Wilson das Neves e seu Conjunto (1970) Samba Tropi – Até aí morreu Neves – Wilson das Neves e seu Conjunto (1976) O Som Quente É O Das Neves – Wilson das Neves E Seu Conjunto (1996) O Som Sagrado de Wilson das Neves (2004) Brasão de Orfeu (2010) Pra Gente Fazer Mais Um Samba

O

Resultado de imagem para anita O'day caricature

O’DAY, Anita ( Anita Belle Colton *18 de Outubro de 1919 + Los Angeles, 23 de Novembro de 2006), foi uma cantora de jazz americana

O’Day foi uma das vozes mais respeitadas do jazz nas décadas de 40 e 50 com suas chamativas e atrevidas interpretações de canções como “Honeysuckle Rose” e “Sweet Georgia Brown”. Alguns especialistas a situam ao lado de Ella Fitzgerald, Sarah Vaughan e Billie Holiday.De origem humilde, sua paixão pela música surgiu dos discos de Mildred Bailey e Billie Holiday. No início de sua carreira foi rejeitada pelo clarinetista Benny Goodman, que não a quis em sua orquestra, preferindo Peggy Lee. Sua oportunidade chegou quando foi contratada pelo baterista Gene Krupa como vocalista de sua orquestra em 1941. Naquele mesmo ano, a canção “Let me off Uptown” a levou ao estrelato.Seu trabalho com Gene Krupa lhe deu celebridade e fama, mas em 1943 a orquestra se dissolveu quando ele foi detido por posse de maconha. A cantora acabou passando para a orquestra de Stan Kenton, na qual trabalhou à espera de que seu antigo chefe abandonasse a prisão.Com Krupa em liberdade, Anita O’Day voltou a trabalhar com ele em 1945. Depois de dois anos, deu início a uma carreira solo, na qual conseguiu gravar alguns discos para pequenas gravadoras.Após uma fase crítica, na qual também foi viciada em drogas, Norman Granz a contratou em 1952 para seus selos, e com ele viveu a etapa mais frutífera de sua carreira.Seu grande sucesso ocorreu em 1957, quando gravou junto ao trio do pianista Oscar Peterson o álbum “Anita sings the most”, no qual demonstrou sua capacidade de improvisação. Ao vivo, O’Day começou a tocar em  festivais e concertos com músicos como Louis Armstrong, Oscar Peterson, Dinah Washington, George Shearing, Cal Tjader, e Thelonious Monk. Ela aparaceu e fez sucesso no documentário Jazz on a Summer’s Day, filmado no Newport Jazz Festival de 1958 , cantando de modo descontraído, o que aumentou a sua popularidade. Mais tarde ela admitiu estar sob efeito de altas doses de heroina, durante o concerto. Aliás seus problemas com as drogas foram constantes e ela chegou a ser declarada morta em uma de suas overdoses.

Em 1958, gravou “Anita O’Day sings the winners”, alternando o canto com a orquestra de Russ Garcia e com a de Marty Patch. Em 1962 fez, com Krupa, o disco “Drummer man” e após romper sua relação com a casa Verve se dedicou às atuações e às excursões por todo o mundo com seu trio.Posteriormente, ficou oito anos sem gravar e sua volta, em 1970, levou à gravação de um disco ao vivo no Festival de Jazz de Berlim. O êxito daquele show ao vivo animou a estrela branca do jazz a gravar outros em Tóquio e em San Francisco (Califórnia). Seu último disco foi “Indescructible!”, produzido em 2006.Morreu aos 87 anos enquanto dormia em um hospital de West Hollywood devido a complicações provocadas por uma pneumonia.

DISCOGRAFIA: (1951) Anita O’Day Specials (1953 ) Singin’ and Swingin'(1953 ) Anita O’Day Collates1954 Songs By Anita O’Day(1955 ) Anita O’Day(1956)  An Evening with Anita O’Day (1956 ) This Is Anita (1957)  Pick Yourself Up with Anita O’Day (1957) The Lady Is a Tramp (1958) Anita O’Day at Mister Kelly’s (live) (1958) Anita Sings the Most (1958) Anita Sings the Winners (1959)  Anita O’Day Swings Cole Porter with Billy May (1959)  Cool Heat (1960)  Anita O’Day and Billy May Swing Rodgers and Hart (1960)  Waiter, Make Mine Blues (1960) Trav’lin’ Light1962 All the Sad Young Men (1962 ) Time for Two (with Cal Tjader) (1963)  Anita O’Day and the Three Sounds (1964 ) Incomparable! (1970) Recorded Live at the Berlin Jazz Festival (Live)(1975)  I Get a Kick Out of You (1975)  My Ship (1976) Live at Mingo’s (Live) (1978)  Mello’ Day (1978)  Skylark – Live at Club Sometime (Live) (1978)  Angel Eyes(1979)  Anita O’Day Live at the City (Live) (1989)  In a Mellow Tone b(1991)  At Vine St. Live (Live) (1993)  Live in Person (Live) (1993)  Rules of the Road (1993) Wave: Live at Ronnie Scott’s (Live) (2006 ) Indestructible! (2007) Live in Tokyo ’63
( Released Posthumously )
(Live)

P

PRETENDERS, The

The Pretenders é uma banda de rock originária da Gran Bretanha. A banda original era formada pela vocalista e guitarrista Chrissie Hynde, o guitarrista James Honeyman-Scott, o baixista Pete Farndon, e Martin Chambers.O grupo formou-se na Inglaterra no final da década de 70, pela vocalista Chrissie Hynde, uma norte-americana que já havia participado dos grupos: Jack Rabbit, nos EEUU e Gallie, na França.A revista Rolling Stone premiou os Pretenders como a grande revelação de 1980. Em 1982, morreu Honeyman-Scott, mas Chrissie Hynde anunciou que o conjunto não se acabaria encontrando-se em atividade atualmente.(Wikipedia)

PREFERIDOS: Learning to crawl, Get Close

DISCOGRAFIA: (1980) Pretenders (1981) Pretenders II (1984) Learning to Crawl (1986)  Get Close (1990) Packed! (1994) Last of the Independents (1999) Viva el Amor (2002) Loose Screw (2008) Break Up the Concrete

PRINCE

Prince Rogers Nelson (Minneapolis, 7 de junho de 1958 – Minneapolis, 21 de abril de 2016)

Prince era  músico, multi-instrumentista e dançarino e um dos mais talentosos e influentes  músicos de nosso tempo. Prince vendeu mais de 100 milhões de álbuns e 60 milhões de singles. Os singles e álbuns de Prince, especialmente os lançados nos anos 1980, estão quase sempre entre as cinco primeiras posições de todas as listas de melhores músicas ou discos de todos os tempos, com destaque para o álbum Purple Rain, lançado em 1984. Sua música mistura diversos generos musicais como funk, R&B, soul, new wave, jazz, rock, pop e hip hop. Foi considerado o 33.º melhor guitarrista de todos os tempos pela revista norte-americana Rolling Stone.

Prince tinha a reputação de ser um workaholic, seja a trabalhar nas suas músicas ou a produzir outros artistas até o ponto de deixar muito material inédito na gaveta. Considerado um perfeccionista, tinha a imagem de uma pessoa difícil de se trabalhar e por ser altamente protetor de sua música. Escrevia, compunha, produzia e fazia a coreografia de todas as suas músicas. Também tocava todos os instrumentos nos seus álbuns. (Adaptado de Wikipedia).

FAVORITOS: 1999 Purple Rain Around the World in a Day  – Sign “☮” the Times – Graffiti Bridge – Diamonds and Pearls

DISCOGRAFIA

1978 – For You 1979 – Prince 1980 – Dirty Mind 1981 – Controversy 1982 – 1999 1984 – Purple Rain 1985 – Around the World in a Day 1986 – Parade: Music from the Motion Picture Under the Cherry Moon 1987 – Sign “☮” the Times 1988 – Lovesexy 1989 – Batman 1990 – Graffiti Bridge 1991 – Diamonds and Pearls 1992 – O(+> 1994 – Come1994 – The Black Album 1995 – The Gold Experience 1996 – Chaos and Disorder 1996 – Emancipation 1998 – Crystal Ball / The Truth1999 – The Vault: Old Friends 4 Sale 1999 – Rave Un2 the Joy Fantastic 2001 – The Rainbow Children 2002 – One Nite Alone… 2003 – Xpectation 2003 – N.E.W.S 2004 – Musicology 2004 – The Chocolate Invasion 2004 – The Slaughterhouse 2006 – 3121 2007 – Planet Earth 2009 – LOtUSFLOW3R / MPLSoUND 2010 – 20Ten 2014 – Plectrumelectrum 2014 – Art Official Age2015 – HITnRUN Phase One

R

Resultado de imagem para jair rodrigues caricatura

RODRIGUES, Jair . (Jair Rodrigues de Oliveira , Igarapava,SP 06/02/1939 – Cotia,SP 08/05/2014)

Jair iniciou sua carreira como crooner , cantando em casas noturnas, inicialmente no interior de São Paulo. Em 1960 ganhou um programa de calouros:  Programa de Cláudio de Luna” (Rádio Cultura) e foi contratado para gravar seu primeiro disco, um 78 rpm, em 1962. Curiosamente, este disco tinha duas músicas gravadas para a Copa de de 1962: “Brasil sensacional” e “Marechal da vitória”, sendo que a última fez bastante sucesso em São Paulo. Depois de outros 78 rpm, lançou seu primeiro LP em 1964: “Vou de samba com você” e logo a seguir o segundo “O samba como ele é”, também em 1964. Foi nessa época em que ele emplacou outro grande sucesso “Deixa isso pra lá” (Alberto Paz e Edson Meneses), em que ele meio que misturava uma série de gestos, com as palmas das mãos , com trechos praticamente falados. Por causa desta música, Jair foi considerado uma espécie de precursor do rap brasileiro. Em 1965, Baden Powell estava deixando um show que fazia regularmente no Teatro Paramount, em São Paulo e Jair foi convidado para substituí-lo. Foi lá que nasceu a sua famosa parceria com Elis Regina, uma estreante e que rendeu um outro LP de estrondoso sucesso: “Dois na bossa”, gravado ao vivo, logo seguido pelo lançamento de um programa de TV: “O fino da bossa”, produzido pela TV Record (SP), que teve estreia dia 19 de maio de 1965, marcando definitivamente seu lugar entre as grandes estrelas da MPB. Jair se distinguiu ainda nos anos sessenta por suas participações em festivais  musicais, uma febre na época. São de festivais suas memorável interpretação para Disparada” (Geraldo Vandré e Teo de Barros), dividindo o primeiro lugar com “A banda” (Chico Buarque), no Festival da Record de 1966. Sua popularidade extrapolou o Brasil e ele se apresentou com frequência no exterior, em países como Portugal, Alemanha, França, Suíça, Itália, Estados Unidos e Japão. Apresentou-se com Elis Regina e o Zimbo Trio no Cassino Estoril, em Portugal, no Teatro Famoso, na Argentina, e no Cine Ávis, em Angola, ao lado do grupo Os Originais do Samba, no Midem, em Cannes, entre outros espaços. Desde então Jair foi uma referência de sambista, de elegância, educação, bom  humor e sobretudo musicalidade. Hoje sua voz se calou, devido a um infarto, sofrido enquanto fazia uma sauna em sua casa. O cantor era casado com Clodine Mello, com quem tinha os filhos Jair Oliveira e Luciana Mello, também cantores.

DISCOGRAFIA: (1964) O samba como ele é • Philips • LP (1964) Vou de samba com você • Philips • LP (1965) Dois na bossa. Elis Regina e Jair Rodrigues • Philips  (1966) Dois na bossa nº 2 . Elis Regina e Jair Rodrigues • Philips  (1966) O sorriso do Jair • Philips • LP (1967) Jair • Philips • LP(1967) Dois na bossa nº 3. Elis Regina e Jair Rodrigues • Philips(1968) Menino rei da alegria • Philips • LP  (1969) Jair de todos os sambas nº 2 • Philips • LP (1969) Jair de todos os sambas • Philips • LP (1970) Talento e bossa de Jair Rodrigues • Philips • LP(1971) Festa para um rei negro • Philips • LP (1971) É isso aí • Phonogram • LP (1972) Com a corda toda • Phonogram • LP  (1974) Jair Rodrigues dez anos depois • Phonogram • LP  (1974) Abra um sorriso novamente • Phonogram • LP (1975) Eu sou o samba • Phonogram • LP (1975) Ao vivo no Olympia de Paris • LP (1976) Minha hora e vez • Phonogram • LP (1(1973) Orgulho de um sambista • Phonogram • LP977) Estou com o samba e não abro • Phonogram • LP(1978) Pisei chão • Phonogram • LP (1979) Couro comendo • PolyGram • LP  (1979) Antologia da seresta • PolyGram • LP(1980) Estou lhe devendo um sorriso • PolyGram • LP  (1981) Alegria de um povo • PolyGram • LP  (1981) Antologia da seresta nº 2 • PolyGram • LP(1982) Jair Rodrigues de Oliveira • PolyGram • LP  (1983) Carinhoso • PolyGram • LP  (1984) Luzes do prazer • PolyGram • LP  (1985) Jair Rodrigues • Copacabana • LP (1988) Jair Rodrigues • Copacabana • LP (1991) Lamento sertanejo • Copacabana • LP (1994) Viva meu samba • Movieplay • CD (1996) Eu sou… Jair Rodrigues • Movieplay • CD  (1998) De todas as bossas • Som Livre • CD (1999) 500 anos de folia-100% ao vivo • Trama • CD (2000) 500 anos de folia vol. 2 • Trama • CD (2002) Intérprete • Trama • CD  (2004) A nova bossa • Trama • CD (2005) Alma negra • Trama • CD (2006) Jair Rodrigues – Programa Ensaio – Brasil 1991 • Trama • CD (2009) Festa Para Um Rei Negro (CD e DVD)  (2014) Samba Mesmo – Volume 1 e 2 (I Tunes)

S

SCIENCE, Chico – Francisco de Assis França, mais conhecido pela alcunha de Chico Science (Olinda, 13 de março de 1966 — Recife, 2 de fevereiro de 1997)

PREFERIDO: Da lama ao Caos

DISCOGRAFIA: (1994) Da Lama ao Caos (1996) Afrociberdelia

SIMON, Paul (Paul Frederic Simon (Newark, 13/10/1941)

Considerado um dos grandes interprétes da alma norte-americana, captando com sensibilidade as contradições do homem urbano, iniciou sua carreira na década de 60, ao lançar, junto com o seu parceiro Art Garfunkel, o disco Wednesday Morning (1964), que continha a clássica faixa The sound of silence, tida por muitos como a melhor de seu repertório. Esse disco não fez sucesso imediato e a dupla Simon & Garfunkel foi desfeita momentaneamente. Em 1965, Simon foi tentar a sorte no circuito folk de Londres e, ao retornar aos Estados Unidos, encontrou a canção “The sound of silence” no topo das paradas, numa versão com instrumentos elétricos feita por cima da versão acústica gravada no ano anterior. Retomou a parceria com Garfunkel e gravaram um album às pressas, acolhido por público e crítica. Lançaram juntos, no total, seis discos, todos disco de ouro por recorde de vendas. (Wikipedia)

Foram muitos os sucessos da dupla Simon & Garfunkel, a maior parte deles ajudando a marcar importantes momentos de minha adolescência e juventude. A dupla se separou em 1970 e Paul começou uma carreira solo de muito sucesso.

DISCOGRAFIA:

(1964) Wednesday Morning, 3 A.M. – Simon & Garfunkel (1965) Sounds of Silence– Simon & Garfunkel (1965) The Paul Simon Songbook– Paul Simon (1966) Parsley, Sage, Rosemary and Thyme – Simon & Garfunkel (1968) Bookends – Simon & Garfunkel (1970) Bridge over Troubled Water – Simon & Garfunkel (1972) Paul Simon (1973) There Goes Rhymin’ Simon (1974) Paul Simon in Concert: Live Rhymin’ (1975) Still Crazy After All These Years (1977) Greatest Hits, Etc. (1980) One-Trick Pony (1983) Hearts And Bones (1986) Graceland (1988) Negotiations and Love Songs (1990) The Rhythm Of The Saints (1991) Paul Simon’s Concert in the Park, August 15, 1991 (1993) Paul Simon 1964/1993 (1996) The Paul Simon Anthology (1997) Songs From The Capeman (1997) Born at the Right Time: The Best of Paul Simon (2000) Greatest Hits: Shining Like a National Guitar (2000) You’re The One (2004)
The Paul Simon Collection:On My Way, Don’t Know Where I’m Goin’ (2002) The Studio Recordings, 1972-2004 (2006) Surprise (2006) Recorded As Jerry Landis (2007) The Essential Paul Simon

Os Favoritos: Bookends (1968) – Simon & Garfunkel, Still Crazy After All These Years (1975), Graceland (1986)  e Surprise (2006)

SIMONAL,Wilson (Wilson Simonal de Castro -Rio de Janeiro, 23 de fevereiro de 1939 — 25 de junho de 2000)

foi um cantor brasileiro de muito sucesso nas décadas de 1960 e 1970.. Encontrou sua derrocada em 1972, quando foi acusado de ser o mandante de uma surra, dada por dois policiais, no contador de sua firma, que o teria roubado. . Simonal teve uma filha, Patricia, e dois filhos, também músicos: Wilson Simoninha e Max de Castro. É, e sempre foi um dos Preferidos dos Sousa.

DISCOGRAFIA: (1961) Teresinha (Carlos Imperial) (1963) – Tem algo mais (1964) – A nova dimensão do sambav(1965) – Wilson Simonal (1966) – Vou deixar cair…(1967 )  – Wilson Simonal ao vivo (1967) – Alegria, alegria !!! (1968) – Alegria, alegria – volume 2 (1968)  – Quem não tem swing morre com a boca cheia de formiga (1969) – Alegria, alegria – volume 3 (1969 )- Cada um tem o disco que merece (1969 )- Homenagem à graça, à beleza, ao charme e ao veneno da mulher brasileira (1970) – Jóia (1970) – México 70 (1972) – Se dependesse de mim (1973) – Olhaí, balândro..é bufo no birrolho grinza! (1974) – Dimensão 75 (1975) – Ninguém proíbe o amor (1977) – A vida é só cantar (1979) – Se todo mundo cantasse seria bem mais fácil viver (1981) Wilson Simonal (1985) – Alegria tropical (1991) – Os sambas da minha terra (1995) – Brasil (1997)  – Meus momentos: Wilson Simonal (1998) – Bem Brasil – Estilo Simonal (2002) – De A a Z : Wilson Simonal ( 2004)  – Rewind – Simonal Remix (2004)  – Wilson Simonal na Odeon (1961-1971) (2004)  – Série Retratos: Wilson Simonal (2009 )  – Simonal – Ninguém Sabe o Duro Que Dei (2009)  – Wilson Simonal – Um Sorriso Pra Você

PREFERIDOS: Eu gosto de quase todos, mas indico: Alegria,Alegria vol1 e vol2 (1967-1968) e Homenagem à graça, à beleza, ao charme e ao veneno da mulher brasileira, de 1969

V

VIOLA,Paulinho da  (Paulo César Batista de Faria-Rio de Janeiro, 12 de novembro de 1942) é um cantor, compositor e violonista brasileiro, filho do violonista César Faria (do conjunto de choro Época de Ouro).

Filho de Benedito César Ramos de Faria, violonista do conjunto Época de Ouro.Desde criança conviveu com músicos como Pixinguinha e Jacob do Bandolim, que freqüentavam sua casa. Embora seu pai quisesse que o filho seguisse outra carreira que não a de músico, começou a estudar violão sozinho, aperfeiçoando-se, mais tarde, com o amigo Zé Maria.Em Jacarepaguá, onde costumava passar os fins de semana na casa de uma tia, ajudou a organizar o Bloco Carnavalesco Foliões de Anália Franco, para a qual compôs seu primeiro samba. Logo depois, com alguns amigos deste bloco, formou um conjunto no qual tocava violão. Compôs seu segundo samba em 1962, “Pode ser ilusão”, quando integrava a Ala dos Compositores da Escola de Samba União de Jacarepaguá.Em 1963, seu tio Oscar Bigode, diretor de bateria da Portela, convidou-o a ingressar nessa escola. Nessa época, estudava contabilidade e trabalhava numa agência bancária.Teve sete filhos, dos quais quatro são com Lila Rabello, irmã de Raphael, grande nome do violão brasileiro, Luciana e Amélia Rabello. Seu filho João Rabello é músico (violonista) e sua filha Eliane Faria é cantora e compositora, integrante da Ala de Compositores da Portela e ex-puxadora de samba da Escola Paraíso do Tuiuti.Em 2002 o jornalista João Máximo lançou a biografia de Paulinho da Viola: “Paulinho da Viola – sambista e chorão, pela série “Perfis do Rio”.No ano de 2006 os pesquisadores André e Juliana Diniz publicaram uma biografia direcionada ao público infantil, lançada pela coleção infanto-juvenil “Mestres da Música do Brasil”, da Editora Moderna.Em 2012 o jornalista Ruy Fabiano deu início à biografia do compositor intitulada “A filosofia do samba”.

Discografia

(2011) 100 anos de Música Popular Brasileira – Box (vários) • Selo Discobertas/Selo ICCA • CD (2007) Paulinho da Viola – Acústico MTV (2006) Paulo César Baptista de Faria • Trama • DVD (2005) Amorágio • Selo SescRio.Som • CD (2004) Meu tempo é hoje • Biscoito Fino • CD (2002) A música de Paulinho da Viola • Deck Disc • CD (2000) A música brasileira deste século por seus autores e intérpretes – Paulinho da Viola e os Quatro Crioulos • SESC-SP • CD (2000) Ala de Compositores da Portela • CD (1999) Sinal aberto – ao vivo • CD (1998) Brasil são outros 500 • Som Livre • CD (1997) Bebadachama – ao vivo • BMG • CD (1997) Álbum musical – Francis Hime • WEA • CD (1997) Agô Pixinguinha – 100 Anos • Som Livre • CD (1996) Bebadosamba • BMG • CD(1996) Tal pai, tal filho • CID • CD (1996) Pérolas negras – Leo Gandelman • Polygram Verve • CD (1996) 50 anos – Aldir Blanc • Selo Alma • CD (1995) Songbook Ary Barroso – Volume 1 • Lumiar Discos • CD (1995) Clara Nunes Com Vida • EMI • CD (1995) O Samba nas regras da arte – Familia Roitman • Warner • CD (1994) As Flores em Vida – Nelson Cavaquinho • Eldorado • CD (1994) Homenagem a Mauro Duarte • Saci • CD (1994) João Batista do Vale • RCA • CD (1993) Rosa de ouro – volumes I e II • Odeon • CD (1993) Paulinho da Viola & Ensemble-samba e choro Negro • WDR (Coleção World Network, nº 17, Frankfurt/Main) • CD (1992) Gilberto Gil – Songbook Volume 3 • Lumiar Discos • CD (1991) No Tom da Mangueira • Saci • CD (1991) Rio Show Festival – Os Melhores Momentos • Som Livre • CD (1989) Eu canto samba • RCA • LP (1989) Amiga de Verdade – Alaide Costa • Movie Play • LP (1988) Noites Cariocas • Kuarup • LP (1988) Cartola – Bate Outra Vez… • Som Livre • LP (1985) Malandro – Chico Buarque apresenta • Phillips • LP (1985) Carlinhos Vergueiro • Saci • LP (1984) Juntos – Ivan Lins • Phillips • LP (1983) Prisma luminoso • Atlantic/WEA Music • LP (1983) Delirios & Delicias – Simone • CBS • LP (1982) A toda hora rola uma história • Atlantic/WEA Music • LP (1981) Paulinho da Viola • Atlantic/Wea Music • LP (1981) Vinicius de Moraes – A Arca de Noe II • Polygram • LP (1979) Miudinho • EMI/Odeon • LP(1979) Zumbido • EMI/Odeon • LP (1979) Bandalhismo – João Bosco • RCA • LP (1978) Paulinho da Viola • EMI/Odeon • LP (1976) Memórias cantando • EMI/Odeon • LP (1976) Memórias chorando • Odeon • LP (1976) Paulinho da Viola – dez anos • EMI/Odeon • LP (1975) Paulinho da Viola • Odeon • LP (1975) Pecado Capital • (vários) • LP (1974) Direitos Humanos no Banquete dos Mendigos • RCA • LP (1973) Nervos de aço • Odeon • LP (1972) A dança da solidão • Odeon • LP (1972) Nova Bossa Nova • Copacabana • LP (1972) Rádio Jornal do Brasil • Continental Discos • LP (1971) Paulinho da Viola • Odeon • LP (1971) Paulinho da Viola (II) • Odeon • LP
(1971) Paulinho da Viola – Música Popular Brasileira • RCA/Abril Cultural (1970) Foi um rio que passou em minha vida • Odeon • LP (1970) Portela, passado de glória • RGE • LP (1969) Foi um rio que passou em minha vida • Odeon • Compacto Duplo (1968) Brasil – Do Guarani ao Guaraná – Sidney Miller • Elenco • LP (1968) Samba na madrugada • RGE • LP (1968) Paulinho da Viola • Odeon • LP (1967) Os sambistas • Musidisc • LP (1967) Rosa de ouro • Odeon • LP (1966) Viva o Festival da Música Popular Brasileira • Artistas Unidos • LP (1966) Roda de samba 2 • Musidisc • LP (1965) Rosa de ouro • Odeon • LP (1965) Elizete sobe o morro • Copacabana • LP (1965) Roda de samba • Musidisc • LP

Anúncios

3 Respostas para “Os Favoritos dos Sousa

  1. Pingback: Conheço este cara ? Edição 4 – Resposta « Vitrola dos Sousa

  2. Pingback: Homenagem: Favoritos dos Sousa : Prince | Vitrola dos Sousa

  3. Pingback: Os Favoritos dos Sousa: Luiz Melodia | Vitrola dos Sousa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s